O que é?

A endometriose profunda intestinal é caracterizada pela invasão do intestino, podendo ser a baixa deste último, como o reto ou a porção final do sigmoide, ou a parte mais alta, como a porção inicial do sigmoide e, eventualmente, até mesmo o intestino delgado. Quando a endometriose acomete esses órgãos ela é chamada de endometriose profunda infiltrativa acometendo o intestino, e seu tratamento tende a ser o mais complicado dentre todas as formas de endometriose.

Sintomas

A endometriose é uma doença de sintomas cíclicos, os quais surgem somente no período menstrual, e assim, os sintomas gastrointestinais também acabam por acontecer com maior intensidade ou unicamente no período menstrual.

livro-segredos-da-fertilidade

A endometriose intestinal pode levar a sintomas gastrointestinais, entre eles a alternância do hábito intestinal, de evacuação com prisão de ventre ou diarreia, e até mesmo sangramentos, principalmente no período pré-menstrual.

Endometriose profunda e suas formas de manifestação

O peritônio, membrana que recobre os órgãos ginecológicos e a pelve feminina, é diretamente comprometido pelas lesões causadas pela endometriose profunda, o mesmo ocorre com a região retrocervical, situada atrás do cérvix uterino, também chamada de colo uterino.

Os ligamentos útero-sacros são os locais com maior frequência de comprometimento pela endometriose. Mais abaixo dessa região, há também as regiões retrocervical inferior, fundo de saco posterior, o retossigmoide e as regiões paracervicais adjacentes ao colo uterino.

Quando a endometriose ocorre no ovário, esse acometimento se dá na forma de endometrioma, que são cistos de conteúdo espesso. Em outras regiões ela se dá na forma de lesões sólidas, que são espessamentos ou nódulos peritoneais.

As formações nodulares, que são possíveis focos de endometriose, ocorrem nas diversas ligações pélvicas, ou seja, na bexiga, nos ligamentos redondos, na parede posterior do útero, na região do torus uterino – situado entre as inserções dos ligamentos útero-sacros -, nos ligamentos útero-sacros em si, na região retrocervical inferior e ao longo da parede anterior do retossigmoide.

A endometriose profunda compromete principalmente a parede posterior da bexiga e anterior do útero, o compartimento posterior ao longo de toda a parede posterior do útero, a região do fundo da vagina e a parede anterior do retossigmoide.

Diagnóstico e tratamento

endometriose-profundaO diagnóstico da lesão intestinal vêm após o diagnóstico de endometriose. O tratamento dessas lesões quase sempre é cirúrgico, e o porte da cirurgia irá depender prioritariamente da porcentagem da circunferência do intestino acometida pela lesão, bem como sua profundidade.

O tratamento cirúrgico é feito de preferência por laparoscopia, e sua complexidade é grande, dessa forma, mulheres que tem a doença em sua forma profunda devem ser submetidas a uma laparoscopia com uma equipe multidisciplinar, a qual em última instância tenha habilidade para fazer uma resecção intestinal, ou seja, a retirada de um segmento do reto. Ademais, existem vários tipos de resecção que podem ser feitas, para que assim sejam eliminadas todas as lesões da doença. Também recomenda-se a atuação de um cirurgião gastrointestinal ao longo da cirurgia, para remover o pedaço de endometriose que acomete o intestino.

Vale frisar que em nem todos os casos faz-se necessário tratamento cirúrgico, o qual ao mesmo tempo em que irá retirar todas as lesões, também poderá causas sintomas pós-operatórios adversos.

Se a lesão intestinal não acometer de forma profunda a parede intestinal, de forma que possa ser tratada por meio de um raspado feito pelo médico, não haverá nenhum prejuízo às funções intestinais ao longo da vida, porém, se necessária uma resecção, aí sim haverá prejuízos, mesmo que momentâneos, por exemplo, das funções de evacuação, normalmente aumenta-se o número de evacuações por dia após a cirurgia. A tendência é que quanto mais tecido intestinal se retire, maiores sejam os prejuízos para o intestino.